As escadas conectam o físico e mental da construção, com a tecnologia dos softwares ficou mais fácil desenvolver essa ponte nos projetos.

Os efeitos da influência da escada de Penrose na construção

As escadas conectam o físico e mental da construção, com a tecnologia dos softwares ficou mais fácil desenvolver essa ponte nos projetos.

É estranho pensar em escadas de uma forma diferente, não é mesmo? Afinal elas simplesmente servem para subir ou descer, mas talvez essa praticidade não fique apenas nessa função básica e familiar. 

As escadas são um elemento da construção de total interesse nos projetos, a habilidade de criar algo que possibilita o movimento de um nível para outro pode ser algo familiar ou extraordinário, tudo vai depender de pequenos ajustes e ângulos para separar essas experiências. A fixação com as escadarias, não é de agora que os graus de ilusão criam essa sensação de distorção de ótica e na percepção do espaço ao redor. 

 

Essa é uma herança sobre reflexões do passado, baseadas em perspectivas circulares e a ideia inusitada de descer e subir até o infinito e além. E acredite ou não, em 1959 dois matemáticos Lionel e Roger Penrose apresentam o conceito de bidimensionalidade em dupla, sendo conhecido também como a Escada de Penrose. 

Por mais que escadas diferenciadas possam ser consideradas contemporâneas, desde essa época a visão do observador é destacada, para guiar ele através de um loop eterno, sendo impossível sair da escada. O objetivo é violar a geometria básica, já que quando você completa a volta nos degraus, ao mesmo tempo, estaria voltando ao lugar de partida. 

 

A princípio parece uma concepção estranha, ainda mais para construir e tirar isso do papel ou agora do que é projetado nos softwares de cálculos estruturais, por exemplo. Mas a verdade é que muitos artistas e profissionais, começaram a usar essa concepção como fonte de inspiração nos processos criativos, com a intenção de formar ambientes, objetos e espaços com cenas que antes poderiam ser consideradas impossíveis. 

Desta maneira, as escadas se tornam muito mais do que já foram algum dia projetadas para fazer mais do que o básico, o padrão de labirintos em várias direções e com figuras que podem dar a impressão de calma ou aversão, são adaptadas às formas que os clientes forem enxergando diante do resultado final. 

 

Hoje em dia ainda usamos esse princípio na hora de projetar ou construir, mesmo que o aspecto familiar esteja acentuado se olharmos mais de perto, os ângulos que desafiam até a gravidade vão estar presentes. Isso aconteceu, porque ao longo de toda a história a arte e a construção sempre se misturaram, construindo a realidade e a ilusão como os arcos que são acrescentados juntos com as escadas, trazendo a beleza da fantasia imaginada com o real.

Tanto que as ferramentas e recursos tecnológicos, como os programas de engenharia, arquitetura e design continuam estudando a escada de Penrose. A meta é descobrir como algo tão material pode influenciar tanto no campo da imaginação, ficando presente na tridimensionalidade.

 

Essas peças construídas só funcionam se estiverem juntas, já que uma escada sozinha não faz ilusão. Sendo assim, a escada de maneira individual oferece o clássico caminho claro e nítido, mas quando existem outras formas e direções permite inúmeras possibilidades chegando até a uma certa qualidade espacial como um jeito de complementar o vazio.

Uma série de tipos de escadas, pontes interligadas e plataformas estão sendo incorporadas a projetos de moradias, edifícios, residências, condomínios trazendo o inovador para ser usado e aplicado com naturalidade ao cotidiano. Os acessos complexos de movimento, tornam as escadas um método de se orientar pelas estruturas, dando a oportunidade de aproveitar todas as variações da mesma obra. 

Este é um marco, de como as escadas de Penrose impactam não apenas nos projetos, mas na maneira como encaramos a profundidade e detalhes do que está diante dos nossos olhos. Não importa se você prefere o ousado ou o tradicional, nas fases de criação dos rascunhos de cada construção as escadas de Penrose vão estar lá!

 

A maneira mais eficaz de você dominar essa técnica, é conhecendo os seus materiais de trabalho. Percebeu que precisa de uma ajudinha, a construir escadas revolucionárias? Conte com as Soluções CAD que nossos softwares de alta categoria, que vão te ajudar a domar todos os desafios de todos os lados!

A tecnologia de um software BIM, transforma a qualidade dos projetos desenhados.

Você conhece o BIM de verdade?

A tecnologia de um software BIM, transforma a qualidade dos projetos desenhados. 

Poder contar com a tecnologia, faz toda a diferença em nossa vida e no trabalho não seria diferente. Ter resultados satisfatórios, em menos tempo e com vários acertos de primeira são os efeitos do uso do BIM que adiciona mais do que belas visualizações tridimensionais de um projeto.

Este sistema promove a verdadeira colaboração e troca de informações entre as equipes, desde o planejamento até a hora de colocar em prática.  Esse é o cenário ideal para o gerenciamento de uma obra ser um sucesso em toda a sua vida útil, sem falar no controle de custos e redução de desperdícios, que são fatores que podem prejudicar a qualidade de uma construção.

 

A Modelagem de Informação da Construção ou BIM, é o método de trabalho que atua com simulações realistas e o compartilhamento de dados. O segredo do seu funcionamento, está na sua relação integrada com outros programas como o Revit, CAD e outros para facilitar os fluxos de produção onde os materiais podem ser reaproveitados de um ambiente para outro.

Os modelos criados neste esquema, são desenhados através de produtos e recursos reais que são adicionados à geometria, pelas características e especificações as camadas formam as paredes, telhados, portas ou janelas que vão construir tanto a interação virtual quanto a realidade. Arquitetos, construtores, engenheiros e até clientes podem fazer parte deste processo, com contribuições que agregam valores complementares por meio deste espaço no BIM.

 

O que só é possível, pela concentração da base da altura, comprimento e espessura que vão incluir os acabamentos de acordo com a sua preferência. A automatização de cada fase é tanta, que outras dimensões podem ser exploradas até a quinta e a quarta, sendo algo para acentuar as análises, logísticas, operação e manutenção do que está sendo projetado por outras perspectivas.

Por essa visão, os imprevistos podem ser checados e soluções alternativas desenvolvidas antes mesmo de acontecer algum dano ou risco. Cada objeto nesse ambiente, se torna uma peça que pode ser alterada e que vai influenciar outras modificações, por funcionar num tipo de rede.

 

Os objetos são todos os itens manipuláveis dentro do espaço selecionado, para serem incluídos precisam se encaixar em padrões da Biblioteca Nacional. Os componentes genéricos estão nos requisitos, são a forma básica e universal, ou seja, aquilo que ainda não existe informação específica e detalhada, mas que já existe uma noção do formato.

O outro lado da moeda, são os componentes proprietários, que já tem a especificidade necessária determinada por um profissional, algo que vai ser exclusivo para atender uma necessidade que vai combinar com o seu projeto. Existe a opção também, de fazer o upload dos próprios objetos, seguindo as normas e orientações estabelecidas.

 

Com todas essas ferramentas, a possibilidade de desenvolver o projeto em altos níveis de detalhamento é real. Pela variedade das dimensões, os modelos são aprimorados a cada camada de dados e acrescenta inovações especiais como a aplicação de outros tipos de materiais como a madeira.

O envolvimento de todos os lados nestas construções ao lado do BIM, tem alto potencial de mudar as regras das construções tradicionais. O retorno dessas práticas artesanais ao lado do desenvolvimento, que pode ser visto como arriscado e de baixa produtividade, na realidade são a solução ideal para inúmeros problemas.

 

Pela madeira ser uma matéria prima de baixo teor de carbono, ela se torna fácil de trabalhar em lugares controlados por configurações e encaixes, que caem como uma luva ao formato virtual. Sendo leve e robusta, para transportar e ser pré-fabricada consegue ser colocado em prática com renderizações realistas, com a realidade virtual que pode vender melhor as ideias para conquistar as aprovações dos clientes, mesmo indo contra o tradicional.

Claro que como em toda mudança, há obstáculos até que todos os aspectos estejam alinhados e em função das mesmas tarefas. Mas fica claro, que quando o assunto é BIM todos os profissionais da nossa indústria adotam a digitalização, sem precisar reinventar todos os estágios da rotina prática, só é necessário se adaptar com aquilo que já sabemos para continuar construindo um futuro responsável.

 

Quer saber mais do que o BIM é capaz? Entre em contato com a Soluções CAD, para desvendar todos os mistérios e truques do BIM na hora crucial de projetar!